PORTO NOVO 90 ANOS: perspectivas históricas e contemporâneas

Código: 6W68K9SK4

Organizadores: Leandro Mayer e Douglas Orestes Franzen

Ano da publicação: 2016
Número de páginas: 400

 

Sinopse:

Tendo o dia 11 de abril de 1926 como data oficial da fundação de Porto Novo, nas reminiscências de Pe. Max Von Lassberg, lemos seu registro sobre a viagem de reconhecimento a Porto Novo, assim como sua impressão do local e a celebração da primeira missa, marcando oficialmente a fundação do núcleo colonial:

A colônia de São Canísio

A nossa Sociedade União Popular decidira adquirir e povoar uma gleba maior nas margens do Uruguai. Não participei ou participei apenas de longe do reconhecimento inicial da área e dos trabalhos preparatórios. A providência de Deus escolheu-me para a concretização do  assentamento. Na segunda-feira de Páscoa de 1926, de manhã cedo, parti de automóvel de Serro Azul, em companhia do sr. Franzen, primeiro diretor nomeado da colônia, e de seu filho. Além de nós seguiu em três caminhões lotados uma numerosa caravana vinda de Serro Azul, Santo Cristo e Selbach, para examinar as terras. Depois de errar algumas vezes o caminho, alcançamos Porto Feliz na quinta-feira. Na sexta-feira embarcamos numa gasolina para descer o rio até Porto Novo. Alguns preferiram o caminho por terra, O nível do rio estava muito baixo, o que nos causou grandes dificuldades na passagem pelas corredeiras. Em não poucas delas fomos obrigados a desembarcar para dentro da água e puxar e empurrar com os braços.

Desta forma chegamos em Porto Novo apenas no sábado. Não havia nem casa, nem cabana, nem barraca, mas um bonito pomar de laranjeiras. Nele acampamos, mais do que trinta pessoas, e acendemos vários fogos. Perto da noite começamos a armar, entre duas árvores, o altar para a missa da outra manhã. Como pano de fundo estendemos entre as árvores uma capa de chuva limpa e fixamos nela um crucifixo. A mesa foi armada com varas e folhas e depois ornamentada. As velas foram amarradas em duas estacas fincadas no chão. Depois de cuidar das coisas de Deus, cuidamos também de nós. Para comer tínhamos o suficiente e cada qual arrumou a sua cama onde e como lhe agradou. Dormimos bem. O misterioso rumor do grande rio misturou-se com os nossos sonhos. A santa missa começou pelas 8 horas da manhã. Os homens rodeavam o altar numa atitude solene e piedosa. Na magnífica catedral de Deus, pelo Santo Sacrifício, imploravam a bênção para a nova colônia. Na missa alguns comungaram. Em comum, cantou-se, rezou-se e ouviu-se o sermão. Até o prato das ofertas circulou. Também desta forma todos deveriam demonstrar a sua participação no verdadeiro sacrifício e fora combinado que aquela santa missa seria para os fundadores da colônia presentes e o que sobrasse deveria destinar-se a missas pelo bom êxito e o progresso da colônia. O saldo foi considerável. Esta foi a primeira missa e a fundação da colônia e escolhemos São Pedro Canísio como seu patrono. Acontecido no domingo de pascoa, 11 de abril de 1926” (LASSBERG, 2002, p. 124-125).
Numa publicação inédita alusiva aos 90 anos de colonização de Porto Novo, este livro reúne  textos de autores locais, voltados aos seus 90 anos de história. Pretendemos todos, contribuir com a história da região.

Pague com
  • Mercado Pago
  • Mercado Pago
Selos
  • Site Seguro

Leandro Mayer - CPF: 004.558.610-13 © Todos os direitos reservados. 2022